Pesquisar

quarta-feira, 10 de maio de 2017

Charge

Latuff: perfeito.




domingo, 2 de abril de 2017

O Mito do Legado Tucano

Quando afirmam que o governo do PT (de quem eu tenho profundas críticas) só conseguiu avançar tanto em tantas coisas por conta de seu antecessor, eu tenho realmente vontade de rir.

E rio um pouco, com o canto da boca. Aquele sorriso, sabe, localizado em algum ponto entre o compreensivo e o sarcástico?

Naturalmente que houve méritos no governo FHC. Mas não é deles que vou falar aqui.

Porque seria até verossímil a um observador pouco atento, ou que não tivesse vivido naqueles anos, acreditar na tese de um "grande legado".


Algumas manchetes da época do governo FHC

Não é, definitivamente, o meu caso. Eu vivi aqueles anos. E sou um observador atento.

FHC vendeu tudo o que conseguiu do patrimônio público. Todavia, os brasileiros não receberam um centavo de benefícios dessas vendas. Nada mesmo: podem procurar.

Muito pelo contrário: o Brasil ainda teve que tomar emprestado muito dinheiro do FMI.

Notem bem: FHC não recebeu o governo devendo ao FMI. Mas tomou três empréstimos. E ainda vendeu tudo o que pôde.

Os empréstimos permitiam ao FMI intervir em uma série de decisões de governo. O Brasil não tinha autonomia administrativa: tudo passava pelo crivo do Fundo Monetário.

FHC sucateou as universidades federais, proibindo-as por decreto de abrirem novas vagas. Só quem avançava era o ensino superior privado.

Não criou, também, uma única escola técnica.

FHC entregou o governo com o funcionalismo sem aumento por 8 anos seguidos.

No governo FHC o procurador-geral era nomeado de acordo com a conveniência do presidente. Por esse motivo os escândalos eram sistematicamente engavetados. Ninguém do governo era investigado, e muito menos julgado.

Era o "engavetador-geral" da República.

No governo FHC a Policia Federal também era comandada por um homem do partido do presidente. Por esse motivo quase não se viam operações contra políticos aliados. Tampouco contra empresas do governo.

O Governo FHC, que não dava nada aos brasileiros, pagava aos rentistas os maiores juros do planeta.

Depois de consumir as reservas internacionais e ficar à mercê do FMI, faltou capacidade de investimento e o governo FHC jogou o Brasil no Racionamento de Energia. Isto forçou fábricas e comerciantes a reduzir a produção e demitir milhares de pessoas.

O Brasil de FHC era campeão mundial, também, de desemprego.

Campeão mundial de desemprego, juros mais altos do planeta, universidades e escolas técnicas sucateadas, funcionalismo sem aumento por oito anos, dívidas junto ao FMI, reservas internacionais destruídas.

Foi esse o Brasil que FHC entregou.

Um desastre. Em todos os aspectos.

quarta-feira, 15 de fevereiro de 2017

A cegueira dos Vira-Latas

O Brasil viveu 502 anos de governos oligárquicos. Aqueles, cujo discurso frente às demandas populares, sempre respondiam que não era possível, que não cabia no orçamento, que o Brasil não tinha condições. Os Vira-Latas da Direita.

502 anos disso.

13 de governos (quase) populares.

Nos governos (quase) populares o Brasil.

a) Triplicou as escolas técnicas

b) Aumentou em quase 100% o número de vagas em universidades.

c) Criou o SAMU

d) Criou o Bolsa Família

e) Criou o Minha Casa, Minha Vida

f) Criou o Farmácia Popular

g) Criou o Luz para Todos

h) Tirou o Brasil do Mapa da Fome

i) Pagou ao FMI, impedindo a ingerência do fundo na economia

j) Multiplicou por 10 as reservas internacionais

k) Colocou pobres no ensino superior

l) Fez o Brasil saltar da 14a para a 6a economia do mundo

m) Promoveu o maior ganho real do salário mínimo na história

n) Reduziu os níveis de desemprego aos menores níveis da história

o) Recuperou a indústria naval

p) Recuperou os portos

q) Fortaleceu a indústria nacional

r) Recuperou a malha rodoviária que estava destruída

s) Fortaleceu a indústria automobilística

t) Criou o Restaurante popular

u) Criou a Farmácia do Trabalhador

v) Reduziu a taxa de desmatamento na Amazônia

w) Deu independência à Polícia Federal

x) Deu independência à Procuradoria da Repúnlica

z) Reequipou a Polícia Federal e Rodoviária Federal

(faltou letra) criou o PROUNI

(faltou letra) Trouxe a Copa do Mundo

(faltou letra) Trouxe os Jogos Olímpicos

(faltou letra) Criou programas de incentivo ao esporte

(faltou letra) Investiu em pesquisa energética, dando no Pré-Sal

(faltou letra) Investiu em pesquisa dando no motor Flex

(faltou letra) Multiplicou por 10 o patrimônio da Petrobras
...

Mas com certeza foi o maior desastre na história do Brasil. Bons eram os governos oligarcas, que diziam que o brasileiro não podia nada.

 Vira-Latas!

quarta-feira, 25 de janeiro de 2017

Vai pro SUS

Eu defendo o SUS como algo imprescindível para os brasileiros.

Não uso muito o SUS porque tenho plano de saúde privado. Mas uso. Aliás, todo brasileiro usa.



"Mas Degas! Que contradição! Se o SUS é tão bom, porque você não usa o SUS?"

A resposta mais polida: "Porque o plano de saúde é melhor PARA MIM na maioria dos casos".

Perceberam o chiste? "PARA MIM". 

quarta-feira, 19 de outubro de 2016

Porque a PEC 241 é péssima para todos nós.

Tornamo-nos o país do Fla-Flu. Ou do Ba-Vi.

Aqui, se não torcemos por um lado, então necessariamente torcemos pelo outro. Obviamente, não é necessário que eu desenvolva um único milímetro de raciocínio para que percebamos que esta lógica é totalmente desprovida de fundamento.

Mas é assim que as coisas estão. Se não está com o governo, está com a oposição. Se não está com o PT, está com o governo golpista. Se não apoia o governo, está querendo a volta do PT.

Será mesmo que não há mais do que duas cores neste matiz?

Então, venho provocar os estudantes, os “meus” estudantes, de Ciência da Computação, a uma reflexão sobre a PEC 241, a famosa “PEC do Fim do Mundo”, ou “PEC da Salvação do Brasil”, a depender de que lado do Ba-Vi você está.

A PEC prevê que, por “necessidades especiais da Economia”, será necessário congelar os gastos públicos por 20 anos.

sábado, 8 de outubro de 2016

PEC 241: licença para Matar o Estado


A PEC do congelamento está sendo "defendida" com o argumento do controle de gastos públicos, e que isto será bom para todo mundo.

Mas é uma falácia.



Claro que é bom haver controle dos gastos. O problema é encerrar a discussão nesta afirmação truísta.

Experimentaremos, nos próximos anos (talvez a partir de 2018) uma forte recuperação da economia. Os indícios apontam isso, e é o que costuma acontecer com países que enfrentam recessão: suas economias disparam em seguida.

O PIB e a arrecadação aumentarão muito. E muito acima da inflação. Serão alguns anos como os do governo Lula e o primeiro governo Dilma.

Então, tolamente, quando esses dias chegarem, desejaremos mais hospitais, mais investimentos sociais, mais escolas, melhoria nos programas sociais, etc.

Mas a PEC estará lá, tornando Lei a eterna má vontade de nossos governos: não usarão a arrecadação mais generosa para melhorar a vida das pessoas e ainda usarão a desculpa da Lei para isto.
Terão, literalmente, Licença para Matar o Estado.

sexta-feira, 2 de setembro de 2016

Aos vencedores, a inveja

Rui Tavares.
Original aqui.

Os vencedores do golpe parlamentar no Brasil não fazem a mais pálida ideia do que fazer com a vitória.

Os vencedores mais avisados do golpe parlamentar no Brasil já devem, por estas horas, invejar Dilma Rousseff. Invejam-lhe a serenidade com que se defendeu no Senado Federal, a firmeza com que expôs os seus argumentos, o respeito que ganhou no Brasil e mundo fora pela distinção que há entre ela e os seus grotescos adversários no Congresso.



quarta-feira, 31 de agosto de 2016

Eis o Golpe


Pronto.

Golpe consumado.

Estou triste. Mas orgulhoso.

Fiquei do lado da Democracia. Não aplaudi o Golpe de Estado.

Golpe que começou com uma chantagem, foi conduzido pelos políticos mais corruptos com os interesses mais escusos, e culminou com a entrega do poder àqueles que, no voto, não o conseguiram. Mas agora estão lá, implementando uma agenda política que foi recusada nas urnas.

Golpe na Forma e no Conteúdo.

Não lhes guardarei ódio. Porque, afinal, vi o quanto o ódio consegue cegar as pessoas e fazê-las mutilarem a si mesmas sem sequer perceber isto. Apenas ansiosas por sentir o gosto de sangue.

E estarei ao lado dos mutilados que, hoje, comemoram o sangue nas suas bocas. Sei que estaremos juntos em breve, lutando pelo que eu já luto hoje.

Perdi eu, os brasileiros, a Democracia. Mas não faz mal.

Amanhã olharei os meus filhos nos olhos e contarei a eles que, apesar de tudo, permaneci do Lado certo da Luta. Estaremos, eu e eles, orgulhosos disso.

Sem culpa. Sem mágoa. Combati o bom combate. Como disse Darci Ribeiro, estava do lado derrotado, mas foi melhor assim.

Não ficaria feliz de estar ao lado dos que venceram.