Pesquisar

domingo, 2 de abril de 2017

O Mito do Legado Tucano

Quando afirmam que o governo do PT (de quem eu tenho profundas críticas) só conseguiu avançar tanto em tantas coisas por conta de seu antecessor, eu tenho realmente vontade de rir.

E rio um pouco, com o canto da boca. Aquele sorriso, sabe, localizado em algum ponto entre o compreensivo e o sarcástico?

Naturalmente que houve méritos no governo FHC. Mas não é deles que vou falar aqui.

Porque seria até verossímil a um observador pouco atento, ou que não tivesse vivido naqueles anos, acreditar na tese de um "grande legado".


Algumas manchetes da época do governo FHC

Não é, definitivamente, o meu caso. Eu vivi aqueles anos. E sou um observador atento.

FHC vendeu tudo o que conseguiu do patrimônio público. Todavia, os brasileiros não receberam um centavo de benefícios dessas vendas. Nada mesmo: podem procurar.

Muito pelo contrário: o Brasil ainda teve que tomar emprestado muito dinheiro do FMI.

Notem bem: FHC não recebeu o governo devendo ao FMI. Mas tomou três empréstimos. E ainda vendeu tudo o que pôde.

Os empréstimos permitiam ao FMI intervir em uma série de decisões de governo. O Brasil não tinha autonomia administrativa: tudo passava pelo crivo do Fundo Monetário.

FHC sucateou as universidades federais, proibindo-as por decreto de abrirem novas vagas. Só quem avançava era o ensino superior privado.

Não criou, também, uma única escola técnica.

FHC entregou o governo com o funcionalismo sem aumento por 8 anos seguidos.

No governo FHC o procurador-geral era nomeado de acordo com a conveniência do presidente. Por esse motivo os escândalos eram sistematicamente engavetados. Ninguém do governo era investigado, e muito menos julgado.

Era o "engavetador-geral" da República.

No governo FHC a Policia Federal também era comandada por um homem do partido do presidente. Por esse motivo quase não se viam operações contra políticos aliados. Tampouco contra empresas do governo.

O Governo FHC, que não dava nada aos brasileiros, pagava aos rentistas os maiores juros do planeta.

Depois de consumir as reservas internacionais e ficar à mercê do FMI, faltou capacidade de investimento e o governo FHC jogou o Brasil no Racionamento de Energia. Isto forçou fábricas e comerciantes a reduzir a produção e demitir milhares de pessoas.

O Brasil de FHC era campeão mundial, também, de desemprego.

Campeão mundial de desemprego, juros mais altos do planeta, universidades e escolas técnicas sucateadas, funcionalismo sem aumento por oito anos, dívidas junto ao FMI, reservas internacionais destruídas.

Foi esse o Brasil que FHC entregou.

Um desastre. Em todos os aspectos.

quarta-feira, 15 de fevereiro de 2017

A cegueira dos Vira-Latas

O Brasil viveu 502 anos de governos oligárquicos. Aqueles, cujo discurso frente às demandas populares, sempre respondiam que não era possível, que não cabia no orçamento, que o Brasil não tinha condições. Os Vira-Latas da Direita.

502 anos disso.

13 de governos (quase) populares.

Nos governos (quase) populares o Brasil.

a) Triplicou as escolas técnicas

b) Aumentou em quase 100% o número de vagas em universidades.

c) Criou o SAMU

d) Criou o Bolsa Família

e) Criou o Minha Casa, Minha Vida

f) Criou o Farmácia Popular

g) Criou o Luz para Todos

h) Tirou o Brasil do Mapa da Fome

i) Pagou ao FMI, impedindo a ingerência do fundo na economia

j) Multiplicou por 10 as reservas internacionais

k) Colocou pobres no ensino superior

l) Fez o Brasil saltar da 14a para a 6a economia do mundo

m) Promoveu o maior ganho real do salário mínimo na história

n) Reduziu os níveis de desemprego aos menores níveis da história

o) Recuperou a indústria naval

p) Recuperou os portos

q) Fortaleceu a indústria nacional

r) Recuperou a malha rodoviária que estava destruída

s) Fortaleceu a indústria automobilística

t) Criou o Restaurante popular

u) Criou a Farmácia do Trabalhador

v) Reduziu a taxa de desmatamento na Amazônia

w) Deu independência à Polícia Federal

x) Deu independência à Procuradoria da Repúnlica

z) Reequipou a Polícia Federal e Rodoviária Federal

(faltou letra) criou o PROUNI

(faltou letra) Trouxe a Copa do Mundo

(faltou letra) Trouxe os Jogos Olímpicos

(faltou letra) Criou programas de incentivo ao esporte

(faltou letra) Investiu em pesquisa energética, dando no Pré-Sal

(faltou letra) Investiu em pesquisa dando no motor Flex

(faltou letra) Multiplicou por 10 o patrimônio da Petrobras
...

Mas com certeza foi o maior desastre na história do Brasil. Bons eram os governos oligarcas, que diziam que o brasileiro não podia nada.

 Vira-Latas!

quarta-feira, 25 de janeiro de 2017

Vai pro SUS

Eu defendo o SUS como algo imprescindível para os brasileiros.

Não uso muito o SUS porque tenho plano de saúde privado. Mas uso. Aliás, todo brasileiro usa.



"Mas Degas! Que contradição! Se o SUS é tão bom, porque você não usa o SUS?"

A resposta mais polida: "Porque o plano de saúde é melhor PARA MIM na maioria dos casos".

Perceberam o chiste? "PARA MIM". 

quarta-feira, 19 de outubro de 2016

Porque a PEC 241 é péssima para todos nós.

Tornamo-nos o país do Fla-Flu. Ou do Ba-Vi.

Aqui, se não torcemos por um lado, então necessariamente torcemos pelo outro. Obviamente, não é necessário que eu desenvolva um único milímetro de raciocínio para que percebamos que esta lógica é totalmente desprovida de fundamento.

Mas é assim que as coisas estão. Se não está com o governo, está com a oposição. Se não está com o PT, está com o governo golpista. Se não apoia o governo, está querendo a volta do PT.

Será mesmo que não há mais do que duas cores neste matiz?

Então, venho provocar os estudantes, os “meus” estudantes, de Ciência da Computação, a uma reflexão sobre a PEC 241, a famosa “PEC do Fim do Mundo”, ou “PEC da Salvação do Brasil”, a depender de que lado do Ba-Vi você está.

A PEC prevê que, por “necessidades especiais da Economia”, será necessário congelar os gastos públicos por 20 anos.

sábado, 8 de outubro de 2016

PEC 241: licença para Matar o Estado


A PEC do congelamento está sendo "defendida" com o argumento do controle de gastos públicos, e que isto será bom para todo mundo.

Mas é uma falácia.



Claro que é bom haver controle dos gastos. O problema é encerrar a discussão nesta afirmação truísta.

Experimentaremos, nos próximos anos (talvez a partir de 2018) uma forte recuperação da economia. Os indícios apontam isso, e é o que costuma acontecer com países que enfrentam recessão: suas economias disparam em seguida.

O PIB e a arrecadação aumentarão muito. E muito acima da inflação. Serão alguns anos como os do governo Lula e o primeiro governo Dilma.

Então, tolamente, quando esses dias chegarem, desejaremos mais hospitais, mais investimentos sociais, mais escolas, melhoria nos programas sociais, etc.

Mas a PEC estará lá, tornando Lei a eterna má vontade de nossos governos: não usarão a arrecadação mais generosa para melhorar a vida das pessoas e ainda usarão a desculpa da Lei para isto.
Terão, literalmente, Licença para Matar o Estado.

sexta-feira, 2 de setembro de 2016

Aos vencedores, a inveja

Rui Tavares.
Original aqui.

Os vencedores do golpe parlamentar no Brasil não fazem a mais pálida ideia do que fazer com a vitória.

Os vencedores mais avisados do golpe parlamentar no Brasil já devem, por estas horas, invejar Dilma Rousseff. Invejam-lhe a serenidade com que se defendeu no Senado Federal, a firmeza com que expôs os seus argumentos, o respeito que ganhou no Brasil e mundo fora pela distinção que há entre ela e os seus grotescos adversários no Congresso.



quarta-feira, 31 de agosto de 2016

Eis o Golpe


Pronto.

Golpe consumado.

Estou triste. Mas orgulhoso.

Fiquei do lado da Democracia. Não aplaudi o Golpe de Estado.

Golpe que começou com uma chantagem, foi conduzido pelos políticos mais corruptos com os interesses mais escusos, e culminou com a entrega do poder àqueles que, no voto, não o conseguiram. Mas agora estão lá, implementando uma agenda política que foi recusada nas urnas.

Golpe na Forma e no Conteúdo.

Não lhes guardarei ódio. Porque, afinal, vi o quanto o ódio consegue cegar as pessoas e fazê-las mutilarem a si mesmas sem sequer perceber isto. Apenas ansiosas por sentir o gosto de sangue.

E estarei ao lado dos mutilados que, hoje, comemoram o sangue nas suas bocas. Sei que estaremos juntos em breve, lutando pelo que eu já luto hoje.

Perdi eu, os brasileiros, a Democracia. Mas não faz mal.

Amanhã olharei os meus filhos nos olhos e contarei a eles que, apesar de tudo, permaneci do Lado certo da Luta. Estaremos, eu e eles, orgulhosos disso.

Sem culpa. Sem mágoa. Combati o bom combate. Como disse Darci Ribeiro, estava do lado derrotado, mas foi melhor assim.

Não ficaria feliz de estar ao lado dos que venceram.

domingo, 7 de agosto de 2016

Então não é Golpe?

O impeachment começou por causa de uma vingança movida por um crápula, à qual a presidenta não cedeu. Motivação nada republicana.

O impeachment foi sustentado por políticos que precisavam tirar Dilma para "estancar a Lava Jato". E esses caras vão julgá-la!

O "crime" atribuído à Presidenta é negado pelos juristas, pelos professores e estudantes de direito, pela auditoria do Senado e pelo MPF. Mas incrivelmente ela será condenada assim mesmo. E pior: pelos políticos que eu mencionei no parágrafo anterior. Aqueles, que estão interessados que ela saia para se livrarem da Justiça! Como ver isto como algo republicano?

Como resultado do impeachment, chega ao poder central um grupo político que não vence as eleições desde o século passado. E eles chegam implementando uma agenda da Direita, que havia sido RECUSADA NAS URNAS.

Se isto não é um Golpe de Estado, então eu não sei que nome se dá.